CREATE DATABASE

Cria um novo banco de dados.

Selecione uma das guias a seguir para ver a sintaxe, os argumentos, os comentários, as permissões e os exemplos da versão específica do SQL com a qual você está trabalhando.

Selecionar um produto

Na linha a seguir, selecione o nome do produto em que você tem interesse e somente as informações do produto serão exibidas.

* SQL Server *  

 

SQL Server

Visão geral

No SQL Server, essa instrução cria um novo banco de dados e os arquivos usados e seus grupos de arquivos. Também pode ser usado para criar um instantâneo de banco de dados ou anexar arquivos de banco de dados para criar um banco de dados com os arquivos desanexados de outro banco de dados.

Sintaxe

Criar um banco de dados.

Para obter mais informações sobre as convenções de sintaxe, consulte Convenções de sintaxe Transact-SQL.

CREATE DATABASE database_name
[ CONTAINMENT = { NONE | PARTIAL } ]
[ ON
      [ PRIMARY ] <filespec> [ ,...n ]
      [ , <filegroup> [ ,...n ] ]
      [ LOG ON <filespec> [ ,...n ] ]
]
[ COLLATE collation_name ]
[ WITH <option> [,...n ] ]
[;]

<option> ::=
{
      FILESTREAM ( <filestream_option> [,...n ] )
    | DEFAULT_FULLTEXT_LANGUAGE = { lcid | language_name | language_alias }
    | DEFAULT_LANGUAGE = { lcid | language_name | language_alias }
    | NESTED_TRIGGERS = { OFF | ON }
    | TRANSFORM_NOISE_WORDS = { OFF | ON}
    | TWO_DIGIT_YEAR_CUTOFF = <two_digit_year_cutoff>
    | DB_CHAINING { OFF | ON }
    | TRUSTWORTHY { OFF | ON }
    | PERSISTENT_LOG_BUFFER=ON ( DIRECTORY_NAME='<Filepath to folder on DAX formatted volume>' )
    | LEDGER = {ON | OFF}
}

<filestream_option> ::=
{
      NON_TRANSACTED_ACCESS = { OFF | READ_ONLY | FULL }
    | DIRECTORY_NAME = 'directory_name'
}

<filespec> ::=
{
(
    NAME = logical_file_name ,
    FILENAME = { 'os_file_name' | 'filestream_path' }
    [ , SIZE = size [ KB | MB | GB | TB ] ]
    [ , MAXSIZE = { max_size [ KB | MB | GB | TB ] | UNLIMITED } ]
    [ , FILEGROWTH = growth_increment [ KB | MB | GB | TB | % ] ]
)
}

<filegroup> ::=
{
FILEGROUP filegroup name [ [ CONTAINS FILESTREAM ] [ DEFAULT ] | CONTAINS MEMORY_OPTIMIZED_DATA ]
    <filespec> [ ,...n ]
}

Anexar um banco de dados

CREATE DATABASE database_name
    ON <filespec> [ ,...n ]
    FOR { { ATTACH [ WITH <attach_database_option> [ , ...n ] ] }
        | ATTACH_REBUILD_LOG }
[;]

<attach_database_option> ::=
{
      <service_broker_option>
    | RESTRICTED_USER
    | FILESTREAM ( DIRECTORY_NAME = { 'directory_name' | NULL } )
}

<service_broker_option> ::=
{
    ENABLE_BROKER
  | NEW_BROKER
  | ERROR_BROKER_CONVERSATIONS
}

Criar um instantâneo do banco de dados

CREATE DATABASE database_snapshot_name
    ON
    (
        NAME = logical_file_name,
        FILENAME = 'os_file_name'
    ) [ ,...n ]
    AS SNAPSHOT OF
[;]

Argumentos

database_name

Esse é o nome do novo banco de dados. Nomes de bancos de dados devem ser exclusivos dentro de uma instância do SQL Server e estar de acordo com as regras de identificadores.

database_name pode conter um máximo de 128 caracteres, a menos que um nome lógico não esteja especificado para o arquivo de log. Se não for especificado um nome de arquivo de log lógico, o SQL Server gerará o logical_file_name e o os_file_name para o log acrescentando um sufixo a database_name. Isso limita o database_name a 123 caracteres de modo que o nome do arquivo lógico gerado não seja maior do que 128 caracteres.

Se o nome do arquivo de dados não for especificado, o SQL Server usará database_name como o logical_file_name e como o os_file_name. O caminho padrão é obtido do Registro. O caminho padrão pode ser alterado nas Propriedades do Servidor (Página Configurações de Banco de Dados) no Management Studio. A alteração do caminho padrão exige o reinício do SQL Server.

CONTAINMENT = { NONE | PARTIAL }

Aplica-se a: SQL Server 2012 (11.x) e posterior

Especifica o status de contenção do banco de dados. NONE = banco de dados dependente. PARTIAL = banco de dados parcialmente independente.

ATIVADO

Especifica que os arquivos em disco usados para armazenar as seções de dados do banco de dados, arquivos de dados, são definidos explicitamente. ON é necessário quando seguido por uma lista de itens <filespec> separados por vírgulas que definem os arquivos de dados para o grupo de arquivos primário. A lista de arquivos no grupo de arquivos primário pode ser seguida por uma lista opcional de itens de <filegroup> separados por vírgulas que definem os grupos de arquivos de usuários e seus arquivos.

PRIMARY

Especifica que a lista <filespec> associada define o arquivo primário. O primeiro arquivo especificado na entrada <filespec> no grupo de arquivos primário torna-se o arquivo primário. Um banco de dados pode conter apenas um arquivo primário. Para obter mais informações, consulte Database Files and Filegroups.

Se PRIMARY não estiver especificado, o primeiro arquivo listado na instrução CREATE DATABASE se tornará o arquivo primário.

LOG ON

Especifica que os arquivos em disco usados para armazenar o log do banco de dados, os arquivos de log, são definidos explicitamente. LOG ON é seguido por uma lista separada por vírgulas de itens <filespec> que definem os arquivos de log. Se LOG ON não estiver especificado, um arquivo de log será criado automaticamente com um tamanho de 25 por cento da soma dos tamanhos de todos os arquivos de dados do banco de dados ou 512 KB, o que for maior. Esse arquivo é colocado no local padrão de arquivo de log. Para obter informações sobre esse local, confira Exibir ou alterar os locais padrão de arquivos de dados e de log no SSMS.

LOG ON não pode ser especificado em um instantâneo do banco de dados.

COLLATE collation_name

Especifica a ordenação padrão do banco de dados. O nome da ordenação pode ser um nome de ordenação do Windows ou um nome de ordenação SQL. Se não estiver especificado, a ordenação padrão da instância do SQL Server será atribuída ao banco de dados. Um nome de ordenação não pode ser especificado em um instantâneo do banco de dados.

Um nome de ordenação não pode ser especificado com as cláusulas FOR ATTACH ou FOR ATTACH_REBUILD_LOG. Para obter informações sobre como alterar a ordenação de um banco de dados anexado, acesse o site da Microsoft.

Para saber mais sobre nomes de ordenações Windows e SQL, confira COLLATE.

Observação

Os bancos de dados independentes são agrupados de maneira diferente dos bancos de dados dependente. Confira Ordenações de bancos de dados independentes para obter mais informações.

<opção> WITH

<filestream_option>

NON_TRANSACTED_ACCESS = { OFF | READ_ONLY | FULL }

Aplica-se a: SQL Server 2012 (11.x) e posterior.

Especifica o nível de acesso não transacional de FILESTREAM ao banco de dados.

Valor Descrição
OFF O acesso não transacional está desabilitado.
READONLY Os dados FILESTREAM deste banco de dados podem ser lidos por processos não transacionais.
FULL O acesso não transacional completo a FileTables FILESTREAM está habilitado.

DIRECTORY_NAME = <directory_name>

Aplica-se a: SQL Server 2012 (11.x) e posterior

Um nome de diretório compatível com o Windows. Esse nome deve ser exclusivo entre todos os nomes de Database_Directory naquela instância do SQL Server. A comparação de exclusividade não diferencia maiúsculas de minúsculas, independentemente das configurações de ordenação do SQL Server. Você deve definir essa opção antes de criar um FileTable nesse banco de dados.



As opções a seguir são permitidas apenas quando CONTAINMENT estiver definido como PARTIAL. Se CONTAINMENT não for definida como NOME, ocorrerão erros.

DEFAULT_FULLTEXT_LANGUAGE = <lcid> | <language name> | <language alias>

Aplica-se a: SQL Server 2012 (11.x) e posterior

Confira Configurar a opção de Configuração de Servidor de linguagem de texto completo padrão para obter uma descrição completa dessa opção.

DEFAULT_LANGUAGE = <lcid> | <language name> | <language alias>

Aplica-se a: SQL Server 2012 (11.x) e posterior

Confira Configurar a opção de Configuração de Servidor de idioma padrão para obter uma descrição completa dessa opção.

NESTED_TRIGGERS = { OFF | ON}

Aplica-se a: SQL Server 2012 (11.x) e posterior

Confira Configurar a opção de Configuração de Servidor de gatilhos aninhados para obter uma descrição completa dessa opção.

TRANSFORM_NOISE_WORDS = { OFF | ON}

Aplica-se a: SQL Server 2012 (11.x) e posterior

Confira Opção de Configuração de Servidor transformar palavras de ruído para obter uma descrição completa dessa opção.

TWO_DIGIT_YEAR_CUTOFF = { 2049 | <qualquer ano entre 1753 e 9999> }

Quatro dígitos que representam um ano. 2049 é o valor padrão. Veja Configurar a opção de Configuração de Servidor de corte de ano com dois dígitos para obter uma descrição completa dessa opção.

DB_CHAINING { OFF | ON }

Quando ON estiver especificado, o banco de dados poderá ser a origem ou o destino de um encadeamento de propriedades de bancos de dados.

Quando OFF, o banco de dados não poderá participar do encadeamento de propriedades de bancos de dados. O padrão é OFF.

Importante

A instância do SQL Server reconhecerá essa configuração quando a opção do servidor Encadeamento de Propriedades de Bancos de Dados for 0 (OFF). Quando Encadeamento de Propriedades de BD for 1 (ON), todos os bancos de dados de usuário poderão participar de cadeias de propriedades de bancos de dados, independentemente do valor dessa opção. Essa opção é definida por meio de sp_configure.

A definição dessa opção requer associação à função de servidor fixa sysadmin. A opção DB_CHAINING não pode ser definida nestes bancos de dados do sistema: master, model e tempdb.

TRUSTWORTHY { OFF | ON }

Quando ON estiver especificado, os módulos de banco de dados (por exemplo, exibições, funções definidas pelo usuário ou procedimentos armazenados) que usam um contexto de representação poderão acessar recursos fora do banco de dados.

Quando OFF, os módulos do banco de dados em um contexto de representação não poderão acessar recursos fora do banco de dados. O padrão é OFF.

TRUSTWORTHY será definido como OFF sempre que o banco de dados for anexado.

Por padrão, todos os bancos de dados do sistema, exceto o banco de dados msdb, têm TRUSTWORTHY definido como OFF. O valor não pode ser alterado para os bancos de dados model e tempdb. É recomendável nunca definir a opção TRUSTWORTHY como ON para o banco de dados master.

PERSISTENT_LOG_BUFFER=ON ( DIRECTORY_NAME='' )

Quando essa opção é especificada, o buffer de log de transações é criado em um volume localizado em um dispositivo de disco com suporte da SCM (armazenamento não volátil NVDIMM-N), também conhecido como buffer de log persistente. Para saber mais, confira Aceleração de latência de Transação Confirmada usando Memória de Classe de Armazenamento. Aplica-se a: SQL Server 2017 (14.x) e mais recente.

LEDGER = {ON | OFF}

Quando definido como ON, ele cria um banco de dados contábil, no qual a integridade de todos os usuários do usuário é protegida. Somente tabelas contábeis podem ser criadas em um banco de dados contábil. O padrão é OFF. O valor da opção LEDGER não pode ser alterado depois que o banco de dados é criado. Para obter mais informações, confira Configurar um banco de dados do razão.

CREATE DATABASE ... FOR ATTACH [ WITH < attach_database_option > ]

Especifica que o banco de dados é criado pela anexação de um conjunto existente de arquivos do sistema operacional. Deve haver uma entrada <filespec> que especifica o arquivo primário. As únicas outras entradas <filespec> necessárias são as de arquivos que têm um caminho diferente daquele de quando o banco de dados foi criado pela primeira vez ou anexado pela última vez. Uma entrada <filespec> deve ser especificada para estes arquivos.

FOR ATTACH exige o seguinte:

  • Todos os arquivos de dados (MDF e NDF) devem estar disponíveis.
  • Se existirem vários arquivos de log, todos eles deverão estar disponíveis.

Se um banco de dados de leitura/gravação tiver um único arquivo de log que não esteja disponível no momento e se o banco de dados foi encerrado sem usuários ou transações abertas antes da operação de anexação, FOR ATTACH reconstruirá automaticamente o arquivo de log e atualizará o arquivo primário. Por outro lado, para um banco de dados somente leitura, o log não pode ser reconstruído porque o arquivo primário não pode ser atualizado. Portanto, ao anexar um banco de dados somente leitura com um log que não está disponível, você deve fornecer os arquivos de log ou os arquivos na cláusula FOR ATTACH.

Observação

Um banco de dados criado por uma versão mais recente do SQL Server não pode ser anexado em versões anteriores.

No SQL Server, todos os arquivos de texto completo que fazem parte do banco de dados que está sendo anexado serão anexados com o banco de dados. Para especificar um novo caminho do catálogo de texto completo, especifique o novo local sem o nome do arquivo do sistema operacional de texto completo. Para obter mais informações, consulte a seção Exemplos.

A anexação de um banco de dados que contém uma opção de FILESTREAM "Nome de diretório", em uma instância do SQL Server, solicitará que o SQL Server verifique se o nome de Database_Directory é exclusivo. Se não for, a operação de anexação falhará com o erro, FILESTREAM Database_Directory name is not unique in this SQL Server instance. Para evitar esse erro, o parâmetro opcional, directory_name deve ser passado para essa operação.

FOR ATTACH não pode ser especificado em um instantâneo do banco de dados.

FOR ATTACH pode especificar a opção de RESTRICTED_USER. RESTRICTED_USER permite que somente os membros da função de banco de dados fixa db_owner e das funções de servidor fixas dbcreator e sysadmin conectem-se ao banco de dados, mas não limita seu número. As tentativas de usuários não qualificados são recusadas.

<service_broker_option>

Se o banco de dados usar Service Broker, use WITH <service_broker_option> na cláusula FOR ATTACH:

Controla a entrega de mensagens do Service Broker e o identificador do Service Broker para o banco de dados. As opções do Service Broker podem ser especificadas somente quando a cláusula FOR ATTACH é usada.

ENABLE_BROKER

Especifica que o Agente de Serviço está habilitado para o banco de dados especificado. Ou seja, a entrega das mensagens é iniciada, e is_broker_enabled é definido como true na exibição do catálogo sys.databases. O banco de dados retém o identificador do Service Broker.

NEW_BROKER

Cria um valor service_broker_guid no sys.databases e no banco de dados restaurado. Encerra todos os pontos de extremidade de conversação com a limpeza. O agente está habilitado, mas nenhuma mensagem é enviada aos pontos de extremidade de conversa remotos. Qualquer rota que referencia o antigo identificador do Agente de Serviço deve ser recriada novamente com o novo identificador.

ERROR_BROKER_CONVERSATIONS

Encerra todas as conversas com um erro que declara que o banco de dados está anexado ou restaurado. O agente é desabilitado até que essa operação seja concluída e, em seguida, é habilitado. O banco de dados retém o identificador do Service Broker.

Ao anexar um banco de dados replicado que tenha sido copiado, em vez de desanexado, considere o seguinte:

  • Se você anexar o banco de dados à mesma instância e versão de servidor como banco de dados original, nenhuma etapa adicional será necessária.
  • Se anexar o banco de dados à mesma instância de servidor, mas com uma versão atualizada, você deverá executar sp_vupgrade_replication para atualizar a replicação depois que a operação de anexação tiver sido concluída.
  • Se você anexar o banco de dados a uma instância de servidor diferente, independentemente da versão, deverá executar sp_removedbreplication para remover a replicação depois que a operação de anexação tiver sido concluída.

Observação

A anexação funciona com o formato de armazenamento vardecimal, mas o Mecanismo de Banco de Dados do SQL Server deve ser atualizado para pelo menos o SQL Server 2005 (9.x) SP2. Não é possível anexar um banco de dados que usa formato de armazenamento vardecimal a uma versão anterior do SQL Server. Para obter mais informações sobre o formato de armazenamento vardecimal, veja Compactação de dados.

Quando um banco de dados é anexado ou restaurado pela primeira vez a uma nova instância do SQL Server, uma cópia da chave mestra de banco de dados (criptografada pela chave mestra de serviço) ainda não está armazenada no servidor. É necessário usar a instrução OPEN MASTER KEY para descriptografar a DMK (chave mestra do banco de dados). Após a descriptografia da DMK, você tem a opção de habilitar a descriptografia automática no futuro usando a instrução ALTER MASTER KEY REGENERATE para provisionar o servidor com uma cópia da DMK criptografada com a SMK (chave mestra de serviço). Quando um banco de dados for atualizado de uma versão anterior, a DMK deverá ser regenerada para usar o algoritmo AES mais recente. Para obter mais informações sobre como regenerar a DMK, consulte ALTER MASTER KEY. O tempo necessário para regenerar a chave DMK para atualizar o AES depende do número de objetos protegidos pela DMK. É necessário regenerar a chave DMK para atualizar o AES somente uma vez, isso não tem impacto sobre regenerações futuras como parte de uma estratégia de rotação de chave. Para obter informações sobre como atualizar um banco de dados usando anexar, veja Atualizar um banco de dados utilizando desanexar e anexar.

Importante

É recomendável não anexar bancos de dados de origens desconhecidas ou não confiáveis. Esses bancos de dados podem conter um código mal-intencionado que pode executar um código Transact-SQL inesperado ou provocar erros modificando o esquema ou a estrutura física do banco de dados. Antes de usar um banco de dados de origem desconhecida ou não confiável, execute DBCC CHECKDB no banco de dados em um servidor que não seja de produção, e também examine o código, como procedimentos armazenados ou outro código definido pelo usuário, no banco de dados.

Observação

As opções TRUSTWORTHY e DB_CHAINING não causam nenhum efeito quando um banco de dados é anexado.

FOR ATTACH_REBUILD_LOG

Especifica que o banco de dados é criado pela anexação de um conjunto existente de arquivos do sistema operacional. Essa opção é limitada a bancos de dados de leitura/gravação. Deve haver uma entrada <filespec> especificando o arquivo primário. Se um ou mais arquivos de log de transações estiverem ausentes, o arquivo de log será reconstruído. O ATTACH_REBUILD_LOG cria automaticamente um novo arquivo de log de 1 MB. Esse arquivo é colocado no local padrão de arquivo de log. Para obter informações sobre esse local, confira Exibir ou alterar os locais padrão de arquivos de dados e de log no SSMS.

Observação

Se os arquivos de log estiverem disponíveis, o Mecanismo de Banco de Dados usará esses arquivos em vez de reconstruir os arquivos de log.

FOR ATTACH_REBUILD_LOG exige as seguintes condições:

  • Um desligamento correto do banco de dados.
  • Todos os arquivos de dados (MDF e NDF) devem estar disponíveis.

Importante

Essa operação interrompe a cadeia de backup de log. É recomendável que um backup completo do banco de dados seja executado após a conclusão da operação. Para obter mais informações, consulte BACKUP.

Normalmente, FOR ATTACH_REBUILD_LOG é usado quando você copia um banco de dados de leitura/gravação com um log grande em outro servidor onde a cópia será usada principalmente, ou apenas, para operações de leitura e, portanto, exige menos espaço de log do que o banco de dados original.

FOR ATTACH_REBUILD_LOG não pode ser especificado em um instantâneo do banco de dados.

Para obter mais informações sobre como anexar e desanexar bancos de dados, veja Anexação e desanexação de banco de dados.

<filespec>

Controla as propriedades do arquivo.

NAME logical_file_name

Especifica o nome lógico do arquivo. NAME é exigido quando FILENAME está especificado, exceto ao especificar uma das cláusulas FOR ATTACH. Um grupo de arquivos FILESTREAM não pode ser denominado PRIMARY.

logical_file_name É o nome lógico usado no SQL Server ao fazer referência ao arquivo. Logical_file_name deve ser exclusivo no banco de dados e estar de acordo com a regras de identificadores. O nome pode ser um caractere ou constante Unicode ou um identificador normal ou delimitado.

FILENAME { 'os_file_name' | 'filestream_path' }

Especifica o nome do arquivo (físico) do sistema operacional.

'os_file_name' É o caminho e o nome do arquivo usados pelo sistema operacional quando o arquivo é criado. O arquivo deve residir em um dos seguintes dispositivos: o servidor local no qual o SQL Server está instalado, uma rede de área de armazenamento [SAN] ou em uma rede baseada em iSCSI. O caminho especificado deve existir antes da execução da instrução CREATE DATABASE. Para obter mais informações, confira Arquivos e grupos de arquivos do banco de dados neste artigo.

Os parâmetros SIZE, MAXSIZE e FILEGROWTH podem ser definidos quando um caminho UNC está especificado para o arquivo.

Se o arquivo estiver em uma partição bruta, os_file_name deverá especificar apenas a letra da unidade de uma partição bruta existente. Apenas um arquivo de dados pode ser criado em cada partição bruta.

Arquivos de dados não devem ser colocados em sistemas de arquivos compactados a não ser que os arquivos sejam secundários e somente leitura ou que o banco de dados seja somente leitura. Arquivos de log nunca devem ser colocados em sistemas de arquivos compactados.

'filestream_path' Para um grupo de arquivos FILESTREAM, FILENAME faz referência a um caminho em que os dados FILESTREAM serão armazenados. O caminho até a última pasta deve existir e a última pasta não deve existir. Por exemplo, se você especificar o caminho C:\MyFiles\MyFilestreamData, C:\MyFiles deverá existir antes de você executar ALTER DATABASE, mas a pasta MyFilestreamData não deverá existir.

O grupo de arquivos e o arquivo (<filespec>) devem ser criados na mesma instrução.

As propriedades SIZE e FILEGROWTH não se aplicam a um grupo de arquivos FILESTREAM.

SIZE size

Especifica o tamanho do arquivo.

SIZE não pode ser especificado quando o os_file_name for especificado como um caminho UNC. SIZE não se aplica a um grupo de arquivos FILESTREAM.

size É o tamanho inicial do arquivo.

Quando o size do arquivo primário não é informado, o Mecanismo de Banco de Dados usa o tamanho do arquivo primário no banco de dados model. O tamanho padrão do banco de dados model é de 8 MB (a partir do SQL Server 2016 (13.x)) ou 1 MB (para versões anteriores). Quando um arquivo de dados secundário ou um arquivo de log for especificado, mas o tamanho não for especificado para o arquivo, o Mecanismo de Banco de Dados fará com que o arquivo ter 8 MB (começando com SQL Server 2016 (13.x)) ou 1 MB (para versões anteriores). O tamanho especificado do arquivo primário deve ser, no mínimo, igual ao do arquivo primário do banco de dados model.

Os sufixos KB (quilobyte), MB (megabyte), GB (gigabyte) ou TB (terabyte) podem ser usados. O padrão é MB. Especifique um número inteiro. Não inclua um decimal. Size é um valor inteiro. Para valores maiores que 2147483647, use unidades maiores.

MAXSIZE max_size

Especifica o tamanho máximo até o qual o arquivo pode crescer. MAXSIZE não pode ser especificado quando o os_file_name for especificado como um caminho UNC.

max_size É o tamanho de arquivo máximo. Os sufixos KB, MB, GB e TB podem ser usados. O padrão é MB. Especifique um número inteiro. Não inclua um decimal. Se um max_size não for especificado, o arquivo aumentará até que o disco esteja cheio. Max_size é um valor inteiro. Para valores maiores que 2147483647, use unidades maiores.

UNLIMITED Especifica que o arquivo crescerá até que o disco esteja cheio. No SQL Server, um arquivo de log especificado com crescimento ilimitado tem um tamanho máximo de 2 TB, e um arquivo de dados tem um tamanho máximo de 16 TB.

Observação

Não há nenhum tamanho máximo quando essa opção é especificada para um contêiner FILESTREAM. Ele continua crescendo até que o disco esteja cheio.

FILEGROWTH growth_increment

Especifica o incremento de crescimento automático do arquivo. A configuração de FILEGROWTH de um arquivo não pode exceder a configuração de MAXSIZE. FILEGROWTH não pode ser especificado quando o os_file_name é especificado como um caminho UNC. FILEGROWTH não se aplica a um grupo de arquivos FILESTREAM.

growth_increment é a quantidade de espaço adicionada ao arquivo sempre que um novo espaço é necessário.

O valor pode ser especificado em MB, KB, GB, TB ou porcentagem (%). Se um número for especificado sem um sufixo MB, KB, ou %, o padrão será MB. Quando % está especificada, o tamanho do incremento de crescimento é a porcentagem especificada do tamanho do arquivo no momento em que ocorre o incremento. O tamanho especificado é arredondado para os 64 KB mais próximos e o valor mínimo é de 64 KB.

Um valor 0 indica que o crescimento automático está desativado e nenhum espaço adicional é permitido.

Se FILEGROWTH não é especificado, os valores padrão são:

Versão Valores padrão
Começando em SQL Server 2016 (13.x) Dados 64 MB. Arquivos de log 64 MB.
Começando em SQL Server 2005 (9.x) Dados 1 MB. Arquivos de log 10%.
Antes do SQL Server 2005 (9.x) Dados 10%. Arquivos de log 10%.

<filegroup>

Controla as propriedades do grupo de arquivos. O grupo de arquivos não pode ser especificado em um instantâneo do banco de dados.

FILEGROUP filegroup_name

É o nome lógico do grupo de arquivos.

filegroup_namefilegroup_name deve ser exclusivo no banco de dados e não pode ser os nomes PRIMARY e PRIMARY_LOG fornecidos pelo sistema. O nome pode ser um caractere ou constante Unicode ou um identificador normal ou delimitado. O nome deve estar de acordo com as regras de identificadores.

CONTAINS FILESTREAM Especifica que o grupo de arquivos armazena BLOBs (objetos binários grandes) FILESTREAM no sistema de arquivos.

DEFAULT Especifica que o grupo de arquivos nomeado é o grupo de arquivos padrão no banco de dados.

CONTAINS MEMORY_OPTIMIZED_DATA aplica-se a: SQL Server 2014 (12.x) e posterior

Especifica que o grupo de arquivos armazena dados memory_optimized no sistema de arquivos. Para obter mais informações, confira Visão geral e cenários de uso da otimização na memória. Apenas um grupo de arquivos MEMORY_OPTIMIZED_DATA é permitido por banco de dados. Para obter exemplos de códigos que criam um grupo de arquivos para armazenar dados com otimização de memória, veja Criando uma tabela com otimização de memória e um procedimento armazenado compilado nativamente.

database_snapshot_name

É o nome do novo instantâneo do banco de dados. Nomes de instantâneos de bancos de dados devem ser exclusivos dentro de uma instância do SQL Server e estar de acordo com as regras de identificadores. database_snapshot_name pode ter no máximo 128 caracteres.

ON ( NAME =logical_file_name, FILENAME ='os_file_name') [ ,... n ]

Na criação de um instantâneo do banco de dados, especifica uma lista de arquivos no banco de dados de origem. Para que o instantâneo funcione, todos os arquivos de dados devem ser especificados individualmente. No entanto, arquivos de log não são permitidos para instantâneos do banco de dados. Os grupos de arquivos FILESTREAM não são suportados pelos instantâneos do banco de dados. Se um arquivo de dados FILESTREAM for incluído em uma cláusula CREATE DATABASE ON, a instrução falhará e um erro será gerado.

Para obter descrições de NAME e FILENAME e seus valores, veja as descrições dos valores equivalentes de <filespec>.

Observação

Quando você cria um instantâneo do banco de dados, as outras opções de <filespec> e a palavra-chave PRIMARY não são permitidas.

AS SNAPSHOT OF source_database_name

Especifica que o banco de dados que está sendo criado é um instantâneo de banco de dados do banco de dados de origem especificado por source_database_name. O instantâneo e o banco de dados de origem devem estar na mesma instância.

Para saber mais, confira Instantâneos do banco de dados na seção Comentários.

Comentários

O backup do banco de dados mestre deve ser feito sempre que um banco de dados de usuário é criado, modificado ou descartado.

A instrução CREATE DATABASE deve ser executada em modo de confirmação automática (o modo padrão de gerenciamento de transações) e não deve ser permitida em uma transação explícita ou implícita.

É possível usar uma instrução CREATE DATABASE para criar um banco de dados e os arquivos que armazenam o banco de dados. O SQL Server implementa a instrução CREATE DATABASE usando as seguintes etapas:

  1. O SQL Server usa uma cópia do modelo de banco de dados para inicializar o banco de dados e seu metadados.
  2. Um GUID do agente de serviço é atribuído ao banco de dados.
  3. Em seguida, o Mecanismo de Banco de Dados preenche o restante do banco de dados com páginas vazias, exceto as páginas que têm dados internos que registram como o espaço é usado no banco de dados.

No máximo 32.767 bancos de dados podem ser especificados em uma instância do SQL Server.

Cada banco de dados tem um proprietário que pode executar atividades especiais no banco de dados. O proprietário é o usuário que cria o banco de dados. O proprietário do banco de dados pode ser alterado usando ALTER AUTHORIZATION.

Alguns recursos de banco de dados dependem de recursos ou capacidades presentes no sistema de arquivos para a funcionalidade completa de um banco de dados. Alguns exemplos de recursos que dependem do conjunto de recursos de sistema de arquivos incluem:

  • DBCC CHECKDB
  • FileStream
  • Backups online usando instantâneos de arquivo e VSS
  • Criação de instantâneo do banco de dados
  • Grupo de arquivos de dados com otimização de memória

Arquivos e grupos de arquivos do banco de dados

Cada banco de dados tem no mínimo dois arquivos, um arquivo primário e um arquivo de log de transações e pelo menos um grupo de arquivos. Um máximo de 32.767 arquivos e 32.767 grupos de arquivos pode ser especificado para cada banco de dados.

Ao criar um banco de dados, torne os arquivos de dados tão grandes quanto possível, com base na quantidade máxima de dados que você espera ter no banco de dados.

É recomendável usar uma rede SAN, uma rede baseada em iSCSI ou um disco conectado localmente para o armazenamento dos arquivos de banco de dados do SQL Server, pois essa configuração otimiza o desempenho e a confiabilidade do SQL Server.

Instantâneos do banco de dados

É possível usar a instrução CREATE DATABASE para criar uma exibição estática somente leitura, um instantâneo do banco de dados do banco de dados de origem. Um instantâneo do banco de dados é transacionalmente consistente com o banco de dados de origem pois existia no momento da criação do banco de dados. Um banco de dados de origem pode ter vários instantâneos.

Observação

Quando você cria um instantâneo do banco de dados, a instrução CREATE DATABASE não pode fazer referência a arquivos de log, arquivos offline, arquivos de restauração e arquivos extintos.

Se a criação de um instantâneo do banco de dados falhar, o instantâneo se tornará suspeito e deverá ser excluído. Para obter mais informações, veja DROP DATABASE.

Cada instantâneo persiste até que seja excluído usando DROP DATABASE.

Para obter mais informações, consulte Instantâneos de banco de dados.

Opções de banco de dados

Várias opções de banco de dados são automaticamente definidas sempre que você cria um banco de dados. Para obter uma lista dessas opções, veja Opções ALTER DATABASE SET.

O banco de dados model e criação de bancos de dados

Todos os objetos definidos pelo usuário no modelo de banco de dados são copiados para todos os bancos de dados recém-criados. É possível adicionar todos os tipos de objetos, como tabelas, exibições, procedimentos armazenados, tipos de dados etc., ao banco de dados model para que sejam incluídos em todos os bancos de dados recém-criados.

Quando uma instrução CREATE DATABASE <database_name> é especificada sem parâmetros adicionais de tamanho, o arquivo de dados primário se torna do mesmo tamanho que o arquivo primário no banco de dados model.

A não ser que FOR ATTACH seja especificado, cada novo banco de dados herda as configurações de opções do banco de dados model. Por exemplo, a opção de redução automática do banco de dados é definida como true no model e em todos os bancos de dados criados. Se você alterar as opções no banco de dados model, essas novas configurações de opções serão usadas em todos os bancos de dados criados. A alteração das operações no banco de dados model não afeta os bancos de dados existentes. Se FOR ATTACH estiver especificado na instrução CREATE DATABASE, o novo banco de dados herdará as configurações de opções do banco de dados original.

Exibir informações do banco de dados

É possível usar exibições do catálogo, funções do sistema e procedimentos armazenados do sistema para retornar informações sobre bancos de dados, arquivos e grupos de arquivos. Para obter mais informações, veja Exibições do sistema.

Permissões

Requer permissão CREATE DATABASE, CREATE ANY DATABASE ou ALTER ANY DATABASE.

Para manter controle sobre o uso do disco em uma instância do SQL Server, a permissão para criar bancos de dados geralmente é limitada a algumas contas de logon.

O exemplo a seguir fornece a permissão para criar um banco de dados para o usuário Fay de banco de dados.

USE master;
GO
GRANT CREATE DATABASE TO [Fay];
GO

Permissões em arquivos de dados e de log

No SQL Server, determinadas permissões são definidas nos arquivos de dados e de log de cada banco de dados. As permissões a seguir são definidas sempre que as seguintes operações são aplicadas a um banco de dados:

  • Anexado
  • Incluído em backup
  • Criado
  • Desanexado
  • Modificado para adicionar um novo arquivo
  • Restaurado

As permissões evitam que os arquivos sejam violados acidentalmente caso residam em um diretório com permissões abertas.

Observação

O Microsoft SQL Server Express Edition 2005 não define permissões de arquivo de log e dados.

Exemplos

a. Criar um banco de dados sem especificar arquivos

O exemplo a seguir cria o banco de dados mytest e os arquivos primário e de log de transações correspondentes. Como a instrução não tem nenhum item <filespec>, o arquivo de banco de dados primário é do tamanho do arquivo primário do banco de dados do model. O log de transações é definido como o maior desses valores: 512 KB ou 25% do tamanho do arquivo de dados primário. Como MAXSIZE não é especificado, os arquivos podem crescer até encher todo o espaço em disco disponível. Este exemplo de também demonstra como descartar um banco de dados denominado mytest, se ele existir, antes da criação do banco de dados mytest.

USE master;
GO
IF DB_ID (N'mytest') IS NOT NULL
DROP DATABASE mytest;
GO
CREATE DATABASE mytest;
GO
-- Verify the database files and sizes
SELECT name, size, size*1.0/128 AS [Size in MBs]
FROM sys.master_files
WHERE name = N'mytest';
GO

B. Criar um banco de dados que especifica os arquivos de log de transações e de dados

O exemplo a seguir cria o banco de dados Sales. Como a palavra-chave PRIMARY não é usada, o primeiro arquivo (Sales_dat) torna-se o arquivo primário. Como nem MB nem KB é especificado no parâmetro SIZE do arquivo Sales_dat , ele usa MB e é alocado em megabytes. O backup do banco de dados Sales_log é alocado em megabytes porque o sufixo MB é explicitamente declarado no parâmetro SIZE .

USE master;
GO
CREATE DATABASE Sales
ON
( NAME = Sales_dat,
    FILENAME = 'C:\Program Files\Microsoft SQL Server\MSSQL13.MSSQLSERVER\MSSQL\DATA\saledat.mdf',
    SIZE = 10,
    MAXSIZE = 50,
    FILEGROWTH = 5 )
LOG ON
( NAME = Sales_log,
    FILENAME = 'C:\Program Files\Microsoft SQL Server\MSSQL13.MSSQLSERVER\MSSQL\DATA\salelog.ldf',
    SIZE = 5MB,
    MAXSIZE = 25MB,
    FILEGROWTH = 5MB ) ;
GO

C. Cria um banco de dados especificando vários arquivos de log de transações e de dados

O exemplo a seguir cria o banco de dados Archive que tem três arquivos de dados de 100-MB e dois arquivos de log de transações de 100-MB. O arquivo primário é o primeiro arquivo da lista e é especificado explicitamente com a palavra-chave PRIMARY. Os arquivos de log de transações são especificados em seguida às palavras-chave LOG ON. Observe as extensões usadas para os arquivos na opção FILENAME: .mdf é usado para arquivos de dados primários, .ndf para arquivos de dados secundários e .ldf para arquivos de log de transações. Este exemplo coloca o banco de dados na unidade D: e não com o banco de dados master.

USE master;
GO
CREATE DATABASE Archive
ON
PRIMARY
    (NAME = Arch1,
    FILENAME = 'D:\SalesData\archdat1.mdf',
    SIZE = 100MB,
    MAXSIZE = 200,
    FILEGROWTH = 20),
    ( NAME = Arch2,
    FILENAME = 'D:\SalesData\archdat2.ndf',
    SIZE = 100MB,
    MAXSIZE = 200,
    FILEGROWTH = 20),
    ( NAME = Arch3,
    FILENAME = 'D:\SalesData\archdat3.ndf',
    SIZE = 100MB,
    MAXSIZE = 200,
    FILEGROWTH = 20)
LOG ON
  (NAME = Archlog1,
    FILENAME = 'D:\SalesData\archlog1.ldf',
    SIZE = 100MB,
    MAXSIZE = 200,
    FILEGROWTH = 20),
  (NAME = Archlog2,
    FILENAME = 'D:\SalesData\archlog2.ldf',
    SIZE = 100MB,
    MAXSIZE = 200,
    FILEGROWTH = 20) ;
GO

D. Criar um banco de dados que tem grupos de arquivos

O exemplo a seguir cria o banco de dados Sales que tem os seguintes grupos de arquivos:

  • O grupo de arquivos primário com os arquivos Spri1_dat e Spri2_dat. Os incrementos de FILEGROWTH desses arquivos são especificados como 15%.
  • Um grupo de arquivos denominado SalesGroup1 com os arquivos SGrp1Fi1 e SGrp1Fi2.
  • Um grupo de arquivos denominado SalesGroup2 com os arquivos SGrp2Fi1 e SGrp2Fi2.

Este exemplo coloca os dados e os arquivos de log em discos diferentes para melhorar o desempenho.

USE master;
GO
CREATE DATABASE Sales
ON PRIMARY
( NAME = SPri1_dat,
    FILENAME = 'D:\SalesData\SPri1dat.mdf',
    SIZE = 10,
    MAXSIZE = 50,
    FILEGROWTH = 15% ),
( NAME = SPri2_dat,
    FILENAME = 'D:\SalesData\SPri2dt.ndf',
    SIZE = 10,
    MAXSIZE = 50,
    FILEGROWTH = 15% ),
FILEGROUP SalesGroup1
( NAME = SGrp1Fi1_dat,
    FILENAME = 'D:\SalesData\SG1Fi1dt.ndf',
    SIZE = 10,
    MAXSIZE = 50,
    FILEGROWTH = 5 ),
( NAME = SGrp1Fi2_dat,
    FILENAME = 'D:\SalesData\SG1Fi2dt.ndf',
    SIZE = 10,
    MAXSIZE = 50,
    FILEGROWTH = 5 ),
FILEGROUP SalesGroup2
( NAME = SGrp2Fi1_dat,
    FILENAME = 'D:\SalesData\SG2Fi1dt.ndf',
    SIZE = 10,
    MAXSIZE = 50,
    FILEGROWTH = 5 ),
( NAME = SGrp2Fi2_dat,
    FILENAME = 'D:\SalesData\SG2Fi2dt.ndf',
    SIZE = 10,
    MAXSIZE = 50,
    FILEGROWTH = 5 )
LOG ON
( NAME = Sales_log,
    FILENAME = 'E:\SalesLog\salelog.ldf',
    SIZE = 5MB,
    MAXSIZE = 25MB,
    FILEGROWTH = 5MB ) ;
GO

E. Anexar um banco de dados

O exemplo a seguir desanexa o banco de dados Archive criado no exemplo D e o anexa usando a cláusula FOR ATTACH. Archive foi definido para ter vários dados e arquivos de log. No entanto, como o local dos arquivos não foi alterado desde sua criação, apenas o arquivo primário precisa ser especificado na cláusula FOR ATTACH. A partir do SQL Server 2005 (9.x), todos os arquivos de texto completo que fazem parte do banco de dados que está sendo anexado serão anexados com o banco de dados.

USE master;
GO
sp_detach_db Archive;
GO
CREATE DATABASE Archive
  ON (FILENAME = 'D:\SalesData\archdat1.mdf')
  FOR ATTACH ;
GO

F. Criar um instantâneo do banco de dados

O exemplo a seguir cria o instantâneo do banco de dados sales_snapshot0600. Como um instantâneo do banco de dados é somente leitura, um arquivo de log não pode ser especificado. Em conformidade com a sintaxe, todo arquivo do banco de dados de origem é especificado e grupos de arquivos não são especificados.

O banco de dados de origem deste exemplo é o banco de dados Sales criado no exemplo D.

USE master;
GO
CREATE DATABASE sales_snapshot0600 ON
    ( NAME = SPri1_dat, FILENAME = 'D:\SalesData\SPri1dat_0600.ss'),
    ( NAME = SPri2_dat, FILENAME = 'D:\SalesData\SPri2dt_0600.ss'),
    ( NAME = SGrp1Fi1_dat, FILENAME = 'D:\SalesData\SG1Fi1dt_0600.ss'),
    ( NAME = SGrp1Fi2_dat, FILENAME = 'D:\SalesData\SG1Fi2dt_0600.ss'),
    ( NAME = SGrp2Fi1_dat, FILENAME = 'D:\SalesData\SG2Fi1dt_0600.ss'),
    ( NAME = SGrp2Fi2_dat, FILENAME = 'D:\SalesData\SG2Fi2dt_0600.ss')
AS SNAPSHOT OF Sales ;
GO

G. Criar um banco de dados e especificar nome e opções de ordenação

O exemplo a seguir cria o banco de dados MyOptionsTest. Um nome de ordenação é especificado e as opções TRUSTYWORTHY e DB_CHAINING são definidas como ON.

USE master;
GO
IF DB_ID (N'MyOptionsTest') IS NOT NULL
DROP DATABASE MyOptionsTest;
GO
CREATE DATABASE MyOptionsTest
COLLATE French_CI_AI
WITH TRUSTWORTHY ON, DB_CHAINING ON;
GO
--Verifying collation and option settings.
SELECT name, collation_name, is_trustworthy_on, is_db_chaining_on
FROM sys.databases
WHERE name = N'MyOptionsTest';
GO

H. Anexar um catálogo de texto completo que foi movido

O exemplo a seguir anexa o catálogo de texto completo AdvWksFtCat juntamente com os arquivos de dados e de log do AdventureWorks2012. Neste exemplo, o catálogo de texto completo é movido de seu local padrão para um novo local c:\myFTCatalogs. Os arquivos de dados e de log permanecem em seus locais padrão.

USE master;
GO
--Detach the AdventureWorks2012 database
sp_detach_db AdventureWorks2012;
GO
-- Physically move the full text catalog to the new location.
--Attach the AdventureWorks2012 database and specify the new location of the full-text catalog.
CREATE DATABASE AdventureWorks2012 ON
    (FILENAME = 'c:\Program Files\Microsoft SQL Server\MSSQL13.MSSQLSERVER\MSSQL\Data\AdventureWorks2012_data.mdf'),
    (FILENAME = 'c:\Program Files\Microsoft SQL Server\MSSQL13.MSSQLSERVER\MSSQL\Data\AdventureWorks2012_log.ldf'),
    (FILENAME = 'c:\myFTCatalogs\AdvWksFtCat')
FOR ATTACH;
GO

I. Criar um banco de dados que especifica um grupo de arquivos de linha e dois grupos de arquivos FILESTREAM

O exemplo a seguir cria o banco de dados FileStreamDB. O banco de dados é criado com um grupo de arquivos de linha e dois grupos de arquivos FILESTREAM. Cada grupo de arquivos contém um arquivo:

  • FileStreamDB_data contém dados de linha. Ele contém um arquivo, FileStreamDB_data.mdf com o caminho padrão.
  • FileStreamPhotos contém dados FILESTREAM. Ele contém dois contêineres de dados FILESTREAM, FSPhotos, localizado em C:\MyFSfolder\Photos e FSPhotos2, localizado em D:\MyFSfolder\Photos. É marcado como o grupo de arquivos FILESTREAM padrão.
  • FileStreamResumes contém dados FILESTREAM. Ele contém um contêiner de dados FILESTREAM, FSResumes, localizado em C:\MyFSfolder\Resumes.
USE master;
GO
-- Get the SQL Server data path.
DECLARE @data_path nvarchar(256);
SET @data_path = (SELECT SUBSTRING(physical_name, 1, CHARINDEX(N'master.mdf', LOWER(physical_name)) - 1)
      FROM master.sys.master_files
      WHERE database_id = 1 AND file_id = 1);

 -- Execute the CREATE DATABASE statement.
EXECUTE ('CREATE DATABASE FileStreamDB
ON PRIMARY
    (
    NAME = FileStreamDB_data
    ,FILENAME = ''' + @data_path + 'FileStreamDB_data.mdf''
    ,SIZE = 10MB
    ,MAXSIZE = 50MB
    ,FILEGROWTH = 15%
    ),
FILEGROUP FileStreamPhotos CONTAINS FILESTREAM DEFAULT
    (
    NAME = FSPhotos
    ,FILENAME = ''C:\MyFSfolder\Photos''
-- SIZE and FILEGROWTH should not be specified here.
-- If they are specified an error will be raised.
, MAXSIZE = 5000 MB
    ),
    (
      NAME = FSPhotos2
      , FILENAME = ''D:\MyFSfolder\Photos''
      , MAXSIZE = 10000 MB
     ),
FILEGROUP FileStreamResumes CONTAINS FILESTREAM
    (
    NAME = FileStreamResumes
    ,FILENAME = ''C:\MyFSfolder\Resumes''
    )
LOG ON
    (
    NAME = FileStream_log
    ,FILENAME = ''' + @data_path + 'FileStreamDB_log.ldf''
    ,SIZE = 5MB
    ,MAXSIZE = 25MB
    ,FILEGROWTH = 5MB
    )'
);
GO

J. Criar um banco de dados que tem um grupo de arquivos FILESTREAM com vários arquivos

O exemplo a seguir cria o banco de dados BlobStore1. O banco de dados é criado com um grupo de arquivos de linha e um grupo de arquivos FILESTREAM, FS. O grupo de arquivos FILESTREAM contêm dois arquivos, FS1 e FS2. O banco de dados é alterado adicionando-se um terceiro arquivo, FS3, ao grupo de arquivos FILESTREAM.

USE master;
GO

CREATE DATABASE [BlobStore1]
CONTAINMENT = NONE
ON PRIMARY
(
    NAME = N'BlobStore1',
    FILENAME = N'C:\BlobStore\BlobStore1.mdf',
    SIZE = 100MB,
    MAXSIZE = UNLIMITED,
    FILEGROWTH = 1MB
),
FILEGROUP [FS] CONTAINS FILESTREAM DEFAULT
(  
    NAME = N'FS1',
    FILENAME = N'C:\BlobStore\FS1',
    MAXSIZE = UNLIMITED
),
(
    NAME = N'FS2',
    FILENAME = N'C:\BlobStore\FS2',
    MAXSIZE = 100MB
)
LOG ON
(
    NAME = N'BlobStore1_log',
    FILENAME = N'C:\BlobStore\BlobStore1_log.ldf',
    SIZE = 100MB,
    MAXSIZE = 1GB,
    FILEGROWTH = 1MB
);
GO

ALTER DATABASE [BlobStore1]
ADD FILE
(
    NAME = N'FS3',
    FILENAME = N'C:\BlobStore\FS3',
    MAXSIZE = 100MB
)
TO FILEGROUP [FS];
GO

Confira também

* Banco de Dados SQL *

 

Banco de Dados SQL

Visão geral

No Banco de Dados SQL, essa instrução pode ser usada com um servidor SQL do Azure para criar um banco de dados único ou um banco de dados em um pool elástico. Com esta instrução, você especifica o nome do banco de dados, a ordenação, o tamanho máximo, a edição e o objetivo de serviço e, se aplicável, o pool elástico para o novo banco de dados. Também pode ser usado para criar o banco de dados em um pool elástico. Além disso, ele pode ser usado para criar uma cópia do banco de dados em outro servidor de Banco de Dados SQL.

Sintaxe

Criar um banco de dados

Para obter mais informações sobre as convenções de sintaxe, consulte Convenções de sintaxe Transact-SQL.

CREATE DATABASE database_name [ COLLATE collation_name ]
{
  (<edition_options> [, ...n])
}
[ WITH <with_options> [,..n]]
[;]

<with_options> ::=
{
  CATALOG_COLLATION = { DATABASE_DEFAULT | SQL_Latin1_General_CP1_CI_AS }
  | BACKUP_STORAGE_REDUNDANCY = { 'LOCAL' | 'ZONE' | 'GEO' }
  | LEDGER = {ON | OFF}
}

<edition_options> ::=
{

  MAXSIZE = { 100 MB | 500 MB | 1 ... 1024 ... 4096 GB }
  | ( EDITION = { 'Basic' | 'Standard' | 'Premium' | 'GeneralPurpose' | 'BusinessCritical' | 'Hyperscale' }
  | SERVICE_OBJECTIVE =
    { 'Basic' | 'S0' | 'S1' | 'S2' | 'S3' | 'S4'| 'S6'| 'S7'| 'S9'| 'S12'
      | 'P1' | 'P2' | 'P4'| 'P6' | 'P11' | 'P15'
      | 'GP_Gen4_1' | 'GP_Gen4_2' | 'GP_Gen4_3' | 'GP_Gen4_4' | 'GP_Gen4_5' | 'GP_Gen4_6'
      | 'GP_Gen4_7' | 'GP_Gen4_8' | 'GP_Gen4_9' | 'GP_Gen4_10' | 'GP_Gen4_16' | 'GP_Gen4_24'
      | 'GP_Gen5_2' | 'GP_Gen5_4' | 'GP_Gen5_6' | 'GP_Gen5_8' | 'GP_Gen5_10' | 'GP_Gen5_12' | 'GP_Gen5_14'
      | 'GP_Gen5_16' | 'GP_Gen5_18' | 'GP_Gen5_20' | 'GP_Gen5_24' | 'GP_Gen5_32' | 'GP_Gen5_40' | 'GP_Gen5_80'
      | 'GP_Fsv2_8' | 'GP_Fsv2_10' | 'GP_Fsv2_12' | 'GP_Fsv2_14' | 'GP_Fsv2_16' | 'GP_Fsv2_18'
      | 'GP_Fsv2_20' | 'GP_Fsv2_24' | 'GP_Fsv2_32' | 'GP_Fsv2_36' | 'GP_Fsv2_72'
      | 'GP_S_Gen5_1' | 'GP_S_Gen5_2' | 'GP_S_Gen5_4' | 'GP_S_Gen5_6' | 'GP_S_Gen5_8'
      | 'GP_S_Gen5_10' | 'GP_S_Gen5_12' | 'GP_S_Gen5_14' | 'GP_S_Gen5_16'
      | 'GP_S_Gen5_18' | 'GP_S_Gen5_20' | 'GP_S_Gen5_24' | 'GP_S_Gen5_32' | 'GP_S_Gen5_40'
      | 'BC_Gen4_1' | 'BC_Gen4_2' | 'BC_Gen4_3' | 'BC_Gen4_4' | 'BC_Gen4_5' | 'BC_Gen4_6'
      | 'BC_Gen4_7' | 'BC_Gen4_8' | 'BC_Gen4_9' | 'BC_Gen4_10' | 'BC_Gen4_16' | 'BC_Gen4_24'
      | 'BC_Gen5_2' | 'BC_Gen5_4' | 'BC_Gen5_6' | 'BC_Gen5_8' | 'BC_Gen5_10' | 'BC_Gen5_12' | 'BC_Gen5_14'
      | 'BC_Gen5_16' | 'BC_Gen5_18' | 'BC_Gen5_20' | 'BC_Gen5_24' | 'BC_Gen5_32' | 'BC_Gen5_40' | 'BC_Gen5_80'
      | 'BC_M_8' | 'BC_M_10' | 'BC_M_12' | 'BC_M_14' | 'BC_M_16' | 'BC_M_18'
      | 'BC_M_20' | 'BC_M_24' | 'BC_M_32' | 'BC_M_64' | 'BC_M_128'
      | 'HS_GEN4_1' | 'HS_GEN4_2' | 'HS_GEN4_4' | 'HS_GEN4_8' | 'HS_GEN4_16' | 'HS_GEN4_24'
      | 'HS_GEN5_2' | 'HS_GEN5_4' | 'HS_GEN5_8' | 'HS_GEN5_16' | 'HS_GEN5_24' | 'HS_GEN5_32' | 'HS_GEN5_48' | 'HS_GEN5_80'
      | { ELASTIC_POOL(name = <elastic_pool_name>) } })
}

Copiar um banco de dados

CREATE DATABASE database_name
    AS COPY OF [source_server_name.] source_database_name
    [ ( SERVICE_OBJECTIVE =
      { 'Basic' |'S0' | 'S1' | 'S2' | 'S3'| 'S4'| 'S6'| 'S7'| 'S9'| 'S12'
      | 'P1' | 'P2' | 'P4'| 'P6' | 'P11' | 'P15'
      | 'GP_Gen4_1' | 'GP_Gen4_2' | 'GP_Gen4_3' | 'GP_Gen4_4' | 'GP_Gen4_5' | 'GP_Gen4_6'
      | 'GP_Gen4_7' | 'GP_Gen4_8' | 'GP_Gen4_9' | 'GP_Gen4_10' | 'GP_Gen4_16' | 'GP_Gen4_24'
      | 'GP_Gen5_2' | 'GP_Gen5_4' | 'GP_Gen5_6' | 'GP_Gen5_8' | 'GP_Gen5_10' | 'GP_Gen5_12' | 'GP_Gen5_14'
      | 'GP_Gen5_16' | 'GP_Gen5_18' | 'GP_Gen5_20' | 'GP_Gen5_24' | 'GP_Gen5_32' | 'GP_Gen5_40' | 'GP_Gen5_80'
      | 'GP_Fsv2_8' | 'GP_Fsv2_10' | 'GP_Fsv2_12' | 'GP_Fsv2_14' | 'GP_Fsv2_16' | 'GP_Fsv2_18'
      | 'GP_Fsv2_20' | 'GP_Fsv2_24' | 'GP_Fsv2_32' | 'GP_Fsv2_36' | 'GP_Fsv2_72'
      | 'GP_S_Gen5_1' | 'GP_S_Gen5_2' | 'GP_S_Gen5_4' | 'GP_S_Gen5_6' | 'GP_S_Gen5_8'
      | 'GP_S_Gen5_10' | 'GP_S_Gen5_12' | 'GP_S_Gen5_14' | 'GP_S_Gen5_16'
      | 'GP_S_Gen5_18' | 'GP_S_Gen5_20' | 'GP_S_Gen5_24' | 'GP_S_Gen5_32' | 'GP_S_Gen5_40'
      | 'BC_Gen4_1' | 'BC_Gen4_2' | 'BC_Gen4_3' | 'BC_Gen4_4' | 'BC_Gen4_5' | 'BC_Gen4_6'
      | 'BC_Gen4_7' | 'BC_Gen4_8' | 'BC_Gen4_9' | 'BC_Gen4_10' | 'BC_Gen4_16' | 'BC_Gen4_24'
      | 'BC_Gen5_2' | 'BC_Gen5_4' | 'BC_Gen5_6' | 'BC_Gen5_8' | 'BC_Gen5_10' | 'BC_Gen5_12' | 'BC_Gen5_14'
      | 'BC_Gen5_16' | 'BC_Gen5_18' | 'BC_Gen5_20' | 'BC_Gen5_24' | 'BC_Gen5_32' | 'BC_Gen5_40' | 'BC_Gen5_80'
      | 'BC_M_8' | 'BC_M_10' | 'BC_M_12' | 'BC_M_14' | 'BC_M_16' | 'BC_M_18'
      | 'BC_M_20' | 'BC_M_24' | 'BC_M_32' | 'BC_M_64' | 'BC_M_128'
      | 'HS_GEN4_1' | 'HS_GEN4_2' | 'HS_GEN4_4' | 'HS_GEN4_8' | 'HS_GEN4_16' | 'HS_GEN4_24'
      | 'HS_GEN5_2' | 'HS_GEN5_4' | 'HS_GEN5_8' | 'HS_GEN5_16' | 'HS_GEN5_24' | 'HS_GEN5_32' | 'HS_GEN5_48' | 'HS_GEN5_80'
      | { ELASTIC_POOL(name = <elastic_pool_name>) } })
   ]
[;]

Argumentos

database_name

O nome do novo banco de dados. Este nome deve ser exclusivo no SQL Server e deve estar de acordo com a regras do SQL Server para identificadores. Para obter mais informações, consulte Identificadores.

Collation_name

Especifica a ordenação padrão do banco de dados. O nome da ordenação pode ser um nome de ordenação do Windows ou um nome de ordenação SQL. Se não for especificado, o banco de dados receberá a ordenação padrão, que é SQL_Latin1_General_CP1_CI_AS.

Para obter mais informações sobre nomes de ordenações do Windows e SQL, COLLATE (Transact-SQL).

CATALOG_COLLATION

Especifica a ordenação padrão do catálogo de metadados. DATABASE_DEFAULT especifica que o catálogo de metadados usado para exibições do sistema e tabelas do sistema seja agrupado para corresponder à ordenação padrão do banco de dados. Esse é o comportamento encontrado no SQL Server.

SQL_Latin1_General_CP1_CI_AS especifica que o catálogo de metadados usado para exibições do sistema e tabelas seja agrupado em uma ordenação SQL_Latin1_General_CP1_CI_AS fixo. Essa será a configuração padrão no Banco de Dados SQL do Azure, se não for especificado.

BACKUP_STORAGE_REDUNDANCY

Especifica como a restauração pontual e os backups de retenção de longo prazo de um banco de dados são replicados. A restauração geográfica ou a capacidade de recuperar-se da interrupção regional só estará disponível quando o banco de dados for criado com redundância de armazenamento de backup 'GEO'. A menos que especificado explicitamente, os bancos de dados criados com o T-SQL usam o armazenamento de backup com redundância geográfica.

Importante

A opção BACKUP_STORAGE_REDUNDANCY do Banco de Dados SQL do Azure está disponível em versão prévia pública no Sul do Brasil e está em disponibilidade geral apenas na região Sudeste da Ásia do Azure.

LEDGER = {ON | OFF}

Quando definido como ON, ele cria um banco de dados contábil, no qual a integridade de todos os usuários do usuário é protegida. Somente tabelas contábeis podem ser criadas em um banco de dados contábil. O padrão é OFF. O valor da opção LEDGER não pode ser alterado depois que o banco de dados é criado. Para obter mais informações, confira Configurar um banco de dados do razão.

MAXSIZE

Especifica o tamanho máximo do banco de dados. MAXSIZE deve ser válido para a EDIÇÃO especificada (camada de serviço) A seguir, estão os valores com suporte para MAXSIZE e os padrões (D) para as camadas de serviço.

Observação

O argumento MAXSIZE não é aplicável a bancos de dados individuais na camada de serviço em hiperescala. Os bancos de dados da camada em hiperescala crescem conforme necessário até 100 TB. O serviço de Banco de Dados SQL adiciona armazenamento automaticamente – não é necessário definir um tamanho máximo.

Modelo de DTU para bancos de dados individuais e em pool em um servidor do banco de dados SQL

MAXSIZE Basic S0-S2 S3-S12 P1-P6 P11-P15
100 MB
500 MB
1 GB
2 GB √ (D)
5 GB N/D
10 GB N/D
20 GB N/D
30 GB N/D
40 GB N/D
50 GB N/D
100 GB N/D
150 GB N/D
200 GB N/D
250 GB N/D √ (D) √ (D)
300 GB N/D N/D
400 GB N/D N/D
500 GB N/D N/D √ (D)
750 GB N/D N/D
1024 GB N/D N/D √ (D)
De 1024 GB até 4096 GB em incrementos de 256 GB* N/D N/D N/D N/D

* P11 e P15 permitem MAXSIZE até 4 TB com 1024 GB sendo o tamanho padrão. P11 e P15 podem usar até 4 TB de armazenamento incluído sem custos adicionais. Na camada Premium, um MAXSIZE maior que 1 TB está atualmente disponível nas seguintes regiões: Leste dos EUA 2, Oeste dos EUA, US Gov – Virgínia, Europa Ocidental, Região Central da Alemanha, Sudeste da Ásia, Leste do Japão, Leste da Austrália, Região Central do Canadá e Leste do Canadá. Para obter detalhes adicionais sobre limitações de recursos para o modelo de DTU, veja Limites de recurso de DTU.

O valor MAXSIZE do modelo de DTU, se especificado, deve ser um valor válido exibido na tabela anterior para a camada de serviço especificada.

modelo vCore

Uso Geral – computação provisionada – Gen4 (parte 1)

MAXSIZE GP_Gen4_1 GP_Gen4_2 GP_Gen4_3 GP_Gen4_4 GP_Gen4_5 GP_Gen4_6
Tamanho máximo de dados (GB) 1024 1024 1024 1536 1536 1536

Uso Geral – computação provisionada – Gen4 (parte 2)

MAXSIZE GP_Gen4_7 GP_Gen4_8 GP_Gen4_9 GP_Gen4_10 GP_Gen4_16 GP_Gen4_24
Tamanho máximo de dados (GB) 1536 3072 3072 3072 4096 4096

Uso Geral – computação provisionada – Gen5 (parte 1)

MAXSIZE GP_Gen5_2 GP_Gen5_4 GP_Gen5_6 GP_Gen5_8 GP_Gen5_10 GP_Gen5_12 GP_Gen5_14
Tamanho máximo de dados (GB) 1024 1024 1024 1536 1536 1536 1536

Uso Geral – computação provisionada – Gen5 (parte 2)

MAXSIZE GP_Gen5_16 GP_Gen5_18 GP_Gen5_20 GP_Gen5_24 GP_Gen5_32 GP_Gen5_40 GP_Gen5_80
Tamanho máximo de dados (GB) 3072 3072 3072 4096 4096 4096 4096

Uso Geral – computação provisionada – série Fsv2 (parte 1)

MAXSIZE GP_Fsv2_8 GP_Fsv2_10 GP_Fsv2_12 GP_Fsv2_14 GP_Fsv2_16 GP_Fsv2_18
Tamanho máximo de dados (GB) 1024 1024 1024 1024 1536 1536

Uso Geral – computação provisionada – série Fsv2 (parte 2)

MAXSIZE GP_Fsv2_20 GP_Fsv2_24 GP_Fsv2_32 GP_Fsv2_36 GP_Fsv2_72
Tamanho máximo de dados (GB) 1536 1536 3072 3072 4096

Uso Geral – computação sem servidor – Gen5 (parte 1)

MAXSIZE GP_S_Gen5_1 GP_S_Gen5_2 GP_S_Gen5_4 GP_S_Gen5_6 GP_S_Gen5_8
Máximo de vCores 1 2 4 6 8

Uso Geral – computação sem servidor – Gen5 (parte 2)

MAXSIZE GP_S_Gen5_10 GP_S_Gen5_12 GP_S_Gen5_14 GP_S_Gen5_16
Máximo de vCores 10 12 14 16

Uso Geral – computação sem servidor – Gen5 (parte 3)

MAXSIZE GP_S_Gen5_18 GP_S_Gen5_20 GP_S_Gen5_24 GP_S_Gen5_32 GP_S_Gen5_40
Máximo de vCores 18 20 24 32 40

Comercialmente Crítico – computação provisionada – Gen4 (parte 1)

Tamanho da computação (objetivo do serviço) BC_Gen4_1 BC_Gen4_2 BC_Gen4_3 BC_Gen4_4 BC_Gen4_5 BC_Gen4_6
Tamanho máximo de dados (GB) 1024 1024 1024 1024 1024 1024

Comercialmente Crítico – computação provisionada – Gen4 (parte 2)

Tamanho da computação (objetivo do serviço) BC_Gen4_7 BC_Gen4_8 BC_Gen4_9 BC_Gen4_10 BC_Gen4_16 BC_Gen4_24
Tamanho máximo de dados (GB) 1024 1024 1024 1024 1024 1024

Comercialmente Crítico – computação provisionada – Gen5 (parte 1)

MAXSIZE BC_Gen5_2 BC_Gen5_4 BC_Gen5_6 BC_Gen5_8 BC_Gen5_10 BC_Gen5_12 BC_Gen5_14
Tamanho máximo de dados (GB) 1024 1024 1024 1536 1536 1536 1536

Comercialmente Crítico – computação provisionada – Gen5 (parte 2)

MAXSIZE BC_Gen5_16 BC_Gen5_18 BC_Gen5_20 BC_Gen5_24 BC_Gen5_32 BC_Gen5_40 BC_Gen5_80
Tamanho máximo de dados (GB) 3072 3072 3072 4096 4096 4096 4096

Comercialmente Crítico – computação provisionada – série M (parte 1)

MAXSIZE BC_M_8 BC_M_10 BC_M_12 BC_M_14 BC_M_16 BC_M_18
Tamanho máximo de dados (GB) 512 640 768 896 1024 1152

Comercialmente crítico – computação provisionada – série M (parte 2)

MAXSIZE BC_M_20 BC_M_24 BC_M_32 BC_M_64 BC_M_128
Tamanho máximo de dados (GB) 1280 1536 2.048 4096 4096

Se nenhum valor MAXSIZE for definido ao usar o modelo vCore, o padrão será de 32 GB. Para obter detalhes adicionais sobre limitações de recursos para o modelo de vCore, confira Limites de recurso de vCore.

EDITION

Especifica a camada de serviço do banco de dados.

Bancos de dados individuais e em pool. Os valores disponíveis são: "Básico", "Standard", "Premium","GeneralPurpose", "BusinessCritical" e "Hiperescala".

As regras a seguir se aplicam aos argumentos MAXSIZE e EDITION:

  • Se EDITION for especificado, mas MAXSIZE não for especificado, o valor padrão da edição será usado. Por exemplo, se EDITION for definido como Standard e MAXSIZE não for especificado, então MAXSIZE será automaticamente definido como 250 MB.
  • Se nem MAXSIZE nem EDITION forem especificados, EDITION será definido como GeneralPurpose e MAXZISE será definido como 32 GB.

SERVICE_OBJECTIVE

  • Para bancos de dados individuais e em pool

    • Especifica o tamanho da computação (objetivo do serviço). Os valores disponíveis para o objetivo de serviço são: S0, S1, S2, S3, S4, S6, S7, S9, S12, P1, P2, P4, P6, P11, P15, GP_GEN4_1, GP_GEN4_2, GP_GEN4_3, GP_GEN4_4, GP_GEN4_5, GP_GEN4_6, GP_GEN4_7, GP_GEN4_8, GP_GEN4_7, GP_GEN4_8, GP_GEN4_9, GP_GEN4_10, GP_GEN4_16, GP_GEN4_24, BC_GEN4_1, BC_GEN4_2, BC_GEN4_3, BC_GEN4_4, BC_GEN4_5, BC_GEN4_6, BC_GEN4_7, BC_GEN4_8, BC_GEN4_9, BC_GEN4_10, BC_GEN4_16, BC_GEN4_24, GP_Gen5_2, GP_Gen5_4, GP_Gen5_6, GP_Gen5_8, GP_Gen5_10, GP_Gen5_12, GP_Gen5_14, GP_Gen5_16, GP_Gen5_18, GP_Gen5_20, GP_Gen5_24, GP_Gen5_32, GP_Gen5_40, GP_Gen5_80, GP_Fsv2_8, GP_Fsv2_10, GP_Fsv2_12, GP_Fsv2_14, GP_Fsv2_16, GP_Fsv2_18, GP_Fsv2_20, GP_Fsv2_24, GP_Fsv2_32, GP_Fsv2_36, GP_Fsv2_72, BC_Gen5_2, BC_Gen5_4, BC_Gen5_6, BC_Gen5_8, BC_Gen5_10, BC_Gen5_12, BC_Gen5_14, BC_Gen5_16, BC_Gen5_18, BC_Gen5_20, BC_Gen5_24, BC_Gen5_32, BC_Gen5_40, BC_Gen5_80, BC_M_8, BC_M_10, BC_M_12, BC_M_14, BC_M_16, BC_M_18, BC_M_20, BC_M_24, BC_M_32, BC_M_64, BC_M_128.
  • Para bancos de dados sem servidor

    • Especifica o tamanho da computação (objetivo do serviço). Os valores disponíveis para o objetivo do serviço são: GP_S_Gen5_1, GP_S_Gen5_2, GP_S_Gen5_4, GP_S_Gen5_6, GP_S_Gen5_8, GP_S_Gen5_10, GP_S_Gen5_12, GP_S_Gen5_14, GP_S_Gen5_16, GP_S_Gen5_18, GP_S_Gen5_20, GP_S_Gen5_24, GP_S_Gen5_32 e GP_S_Gen5_40.
  • Para bancos de dados individuais na camada de serviço em hiperescala

    • Especifica o tamanho da computação (objetivo do serviço). Os valores disponíveis para o objetivo do serviço são: HS_GEN4_1HS_GEN4_2HS_GEN4_4HS_GEN4_8HS_GEN4_16, HS_GEN4_24, HS_Gen5_2, HS_Gen5_4, HS_Gen5_8, HS_Gen5_16, HS_Gen5_24, HS_Gen5_32, HS_Gen5_48, HS_Gen5_80.

Para obter descrições do objetivo de serviço e mais informações sobre o tamanho, as edições e as combinações de objetivos de serviço, confira Camadas de serviço do Banco de Dados SQL do Azure. Se o SERVICE_OBJECTIVE especificado não for compatível com a edição, você receberá um erro. Para alterar o valor SERVICE_OBJECTIVE de uma camada para outra (por exemplo, de S1 para P1), você deve alterar também o valor EDITION. Para obter descrições de objetivos de serviço e mais informações sobre o tamanho, as edições e as combinações de objetivo de serviço, veja Camadas de serviço e níveis de desempenho do Banco de Dados SQL do Azure, Limites de recurso de DTU e Limites de recurso de vCore. O suporte para objetivos de serviço PRS foi removido. Em caso de dúvidas, use este alias de email: premium-rs@microsoft.com.

ELASTIC_POOL (name = <elastic_pool_name>)

Aplica-se a: Somente bancos de dados únicos e em pool. Não é aplicável a bancos de dados na camada de serviço em hiperescala. Para criar um banco de dados em um pool de banco de dados elástico, defina o SERVICE_OBJECTIVE do banco de dados como ELASTIC_POOL e forneça o nome do pool. Para obter mais informações, confira Criar e gerenciar um pool elástico do Banco de Dados SQL.

AS COPY OF [source_server_name.]source_database_name

Aplica-se a: Somente bancos de dados únicos e em pool. Para copiar um banco de dados para o mesmo servidor ou um servidor diferente do Banco de Dados do SQL.

source_server_name O nome do servidor do Banco de Dados SQL onde o banco de fonte de origem está localizado. Esse parâmetro é opcional quando o banco de dados de origem e o banco de dados de destino devem estar localizados no mesmo servidor do Banco de Dados SQL.

Observação

o argumento AS COPY OF não oferece suporte aos nomes de domínio exclusivos totalmente qualificados. Em outras palavras, se o nome de domínio totalmente qualificado do seu servidor for serverName.database.windows.net, use somente serverName durante a cópia do banco de dados.

source_database_name

O nome do banco de dados que deve ser copiado.

Comentários

Os bancos de dados no Banco de Dados SQL do Azure tem várias configurações padrão que são definidas quando o banco de dados é criado. Para obter mais informações sobre essas configurações padrão, veja a lista de valores em DATABASEPROPERTYEX.

MAXSIZE fornece a capacidade de limitar o tamanho do banco de dados. Se o tamanho do banco de dados atingir seu MAXSIZE, você receberá o código de erro 40544. Quando isso ocorre, você não pode inserir ou atualizar dados nem criar novos objetos (como tabelas, procedimentos armazenados, exibições e funções). No entanto, você ainda pode ler e excluir dados, truncar tabelas, descartar tabelas e índices e reconstruir índices. É possível atualizar MAXSIZE para um valor maior que o tamanho atual do banco de dados ou excluir alguns dados para liberar espaço de armazenamento. Pode haver um atraso máximo de quinze minutos para que você possa inserir novos dados.

Para alterar o tamanho, a edição ou os valores de objetivos de serviço posteriormente, use ALTER DATABASE (Banco de Dados SQL do Azure).

O argumento CATALOG_COLLATION só está disponível durante a criação do banco de dados.

Cópias de banco de dados

Aplica-se a: Somente bancos de dados únicos e em pool.

Copiar um banco de dados que usa a instrução CREATE DATABASE é uma operação assíncrona. Portanto, uma conexão com o servidor de Banco de Dados SQL não é necessária para a duração completa do processo de cópia. A instrução CREATE DATABASE retornará o controle para o usuário depois que a entrada no sys.databases for criada, mas antes que a operação de cópia de banco de dados seja concluída. Em outras palavras, a instrução CREATE DATABASE é retornada com êxito quando a cópia do banco de dados ainda está em andamento.

  • Monitorando o processo de cópia em um servidor do Banco de dados SQL: consulte as colunas percentage_complete ou replication_state_desc no dm_database_copies ou a coluna state na exibição sys.databases. A exibição sys.dm_operation_status pode ser usada e retornará o status das operações de banco de dados, incluindo a cópia do banco de dados.

Quando o processo de cópia é concluído com êxito, o banco de dados de destino fica transacionalmente consistente com o banco de dados de origem.

A seguinte sintaxe e as regras semânticas aplicam-se ao uso do argumento AS COPY OF:

  • Os nomes do servidor de origem e do servidor para o destino da cópia podem ser iguais ou diferentes. Quando são o mesmo, esse parâmetro é opcional e o contexto do servidor da sessão atual é usado por padrão.
  • Os nomes do banco de dados de origem e destino devem ser especificados, exclusivo e estarem em conformidade com as regras do SQL Server para identificadores. Para obter mais informações, consulte Identificadores.
  • A instrução CREATE DATABASE deve ser executada no contexto do banco de dados master em do servidor de Banco de Dados SQL em que o banco de dados será criado.
  • Depois de a cópia ser concluída, o banco de dados de destino deve ser gerenciado como um banco de dados independente. Você pode executar as instruções ALTER DATABASE e DROP DATABASE no novo banco de dados independentemente do banco de dados de origem. Você também pode copiar o novo banco de dados para outro novo banco de dados.
  • O banco de dados de origem pode continuar a ser acessado enquanto a cópia do banco de dados está em andamento.

Para obter mais informações, consulte Criar uma cópia de um Banco de Dados SQL do Azure usando o Transact-SQL.

Importante

Por padrão, a cópia do banco de dados é criada com a mesma redundância de armazenamento de backup que a do banco de dados de origem. Não há suporte para a alteração da redundância de armazenamento de backup ao criar uma cópia de banco de dados por meio do T-SQL.

Permissões

Para criar um banco de dados, o logon do usuário precisa ser uma das seguintes entidades de segurança:

  • O logon da entidade de segurança no nível do servidor
  • O administrador do Azure AD do SQL Server do Azure local
  • Um logon que é um membro da função de banco de dados dbmanager

Requisitos adicionais para usar a sintaxe CREATE DATABASE ... AS COPY OF: O logon que executa a instrução no servidor local também deve ter pelo menos o db_owner no servidor de origem. Se o logon for baseado na autenticação do SQL Server, o logon que está executando a instrução no servidor local deverá ter um logon correspondente no servidor de Banco de Dados SQL de origem, com um nome idêntico e senha idênticos.

Exemplos

Exemplo simples

Um exemplo simples para criar um banco de dados.

CREATE DATABASE TestDB1;

Exemplo simples com edição

Um exemplo simples para criar um banco de dados de uso geral.

CREATE DATABASE TestDB2
( EDITION = 'GeneralPurpose' );

Exemplo com opções adicionais

Um exemplo que usa várias opções.

CREATE DATABASE hito
COLLATE Japanese_Bushu_Kakusu_100_CS_AS_KS_WS
( MAXSIZE = 500 MB, EDITION = 'GeneralPurpose', SERVICE_OBJECTIVE = 'GP_GEN4_8' ) ;

Criar uma cópia de banco de dados

Um exemplo da criação de uma cópia de um banco de dados.

Aplica-se a: Somente bancos de dados únicos e em pool.

CREATE DATABASE escuela
AS COPY OF school;

Criar um banco de dados em um pool elástico

Cria um novo banco de dados no pool chamado S3M100:

Aplica-se a: Somente bancos de dados únicos e em pool.

CREATE DATABASE db1 ( SERVICE_OBJECTIVE = ELASTIC_POOL ( name = S3M100 ) ) ;

Criar uma cópia de um banco de dados em outro servidor lógico

O exemplo a seguir cria uma cópia do banco de dados db_original, chamada db_copy, no tamanho da computação (objetivo do serviço) P2 para um banco de dados individual. Isso será verdadeiro independentemente de db_original estar em um pool elástico ou em um tamanho da computação (objetivo do serviço) para um banco de dados individual.

Aplica-se a: Somente bancos de dados únicos e em pool.

CREATE DATABASE db_copy
  AS COPY OF ozabzw7545.db_original ( SERVICE_OBJECTIVE = 'P2' );

O exemplo a seguir cria uma cópia do banco de dados db_original, chamada db_copy, em um pool elástico chamado ep1. Isso será verdadeiro independentemente de db_original estar em um pool elástico ou em um tamanho da computação (objetivo do serviço) para um banco de dados individual. Se db_original estiver em um pool elástico com um nome diferente, a db_copy ainda será criada no ep1.

Aplica-se a: Somente bancos de dados únicos e em pool.

CREATE DATABASE db_copy
  AS COPY OF ozabzw7545.db_original
  (SERVICE_OBJECTIVE = ELASTIC_POOL( name = ep1 ) ) ;

Criar banco de dados com um valor de ordenação de catálogo especificado

O exemplo a seguir define a ordenação de catálogo como DATABASE_DEFAULT durante a criação do banco de dados, que define a ordenação de catálogo como sendo a mesma que a ordenação de banco de dados.

CREATE DATABASE TestDB3 COLLATE Japanese_XJIS_140 (MAXSIZE = 100 MB, EDITION = 'Basic')
  WITH CATALOG_COLLATION = DATABASE_DEFAULT

Criar um banco de dados usando a redundância de zona para backups

O exemplo a seguir define a redundância de zona para backups de banco de dados. Os backups de restauração pontual e os backups de retenção de longo prazo (se configurados) usarão a mesma redundância de armazenamento de backup.

CREATE DATABASE test_zone_redundancy 
  WITH BACKUP_STORAGE_REDUNDANCY = 'ZONE';

Criar um banco de dados contábil

CREATE DATABASE MyLedgerDB ( EDITION = 'GeneralPurpose' ) WITH LEDGER = ON;

Confira também

* Instância Gerenciada de SQL *

 

Instância Gerenciada do Azure SQL

Visão geral

Na Instância Gerenciada de SQL do Azure, essa instrução é usada para criar um banco de dados. Ao criar um banco de dados em uma instância gerenciada, você deve especificar o nome do banco de dados e a ordenação.

Sintaxe

Para obter mais informações sobre as convenções de sintaxe, consulte Convenções de sintaxe Transact-SQL.

CREATE DATABASE database_name [ COLLATE collation_name ]
[;]

Importante

Para adicionar arquivos ou definir a contenção de um banco de dados em uma instância gerenciada, use a instrução ALTER DATABASE.

Argumentos

database_name

O nome do novo banco de dados. Este nome deve ser exclusivo no SQL Server e deve estar de acordo com a regras do SQL Server para identificadores. Para obter mais informações, consulte Identificadores.

Collation_name

Especifica a ordenação padrão do banco de dados. O nome da ordenação pode ser um nome de ordenação do Windows ou um nome de ordenação SQL. Se não for especificado, o banco de dados receberá a ordenação padrão, que é SQL_Latin1_General_CP1_CI_AS.

Para obter mais informações sobre nomes de ordenações do Windows e SQL, COLLATE (Transact-SQL).

Comentários

Os bancos de dados no Banco de Dados SQL do Azure tem várias configurações padrão que são definidas quando o banco de dados é criado. Para obter mais informações sobre essas configurações padrão, veja a lista de valores em DATABASEPROPERTYEX.

Importante

A instrução CREATE DATABASE deve ser a única instrução em um lote do Transact-SQL.

A seguir estão as limitações de CREATE DATABASE:

  • Arquivos e grupos de arquivos não podem ser definidos.

  • WITHnão há suporte para as opções.

    Dica

    Como alternativa, use ALTER DATABASE. após CREATE DATABASE para definir opções de banco de dados e para adicionar arquivos.

Permissões

Para criar um banco de dados, um logon deve ser um dos seguintes:

  • O logon da entidade de segurança no nível do servidor
  • O administrador do Azure AD do SQL Server do Azure local
  • Um logon que é um membro da função de banco de dados dbcreator

Exemplos

Exemplo simples

Um exemplo simples para criar um banco de dados.

CREATE DATABASE TestDB1;

Confira também

Confira ALTER DATABASE

* Azure Synapse
Analytics *

 

Azure Synapse Analytics

Visão geral

No Azure Synapse, essa instrução pode ser usada com um servidor do Banco de Dados SQL do Azure para criar um pool de SQL dedicado. Com esta instrução, você especifica o nome do banco de dados, a ordenação, o tamanho máximo, a edição e o objetivo de serviço.

  • CREATE DATABASE tem suporte para pools de SQL dedicados autônomos (anteriormente SQL DW) usando níveis de serviço Gen2.
  • Não há suporte para CREATE DATABASE para pools de SQL dedicados em um espaço de trabalho do Azure Synapse Analytics. Em vez disso, use o portal do Azure.
  • CREATE DATABASE tem suporte para pools de SQL sem servidor no Azure Synapse Analytics.

Sintaxe

Para obter mais informações sobre as convenções de sintaxe, consulte Convenções de sintaxe Transact-SQL.

CREATE DATABASE database_name [ COLLATE collation_name ]
(
    [ MAXSIZE = {
          250 | 500 | 750 | 1024 | 5120 | 10240 | 20480 | 30720
        | 40960 | 51200 | 61440 | 71680 | 81920 | 92160 | 102400
        | 153600 | 204800 | 245760
      } GB ,
    ]
    EDITION = 'datawarehouse',
    SERVICE_OBJECTIVE = {
          'DW100c' | 'DW200c' | 'DW300c' | 'DW400c' | 'DW500c'
        | 'DW1000c' | 'DW1500c' | 'DW2000c' | 'DW2500c' | 'DW3000c' | 'DW5000c'
        | 'DW6000c' | 'DW7500c' | 'DW10000c' | 'DW15000c' | 'DW30000c'
    }
)
[;]

Argumentos

database_name

O nome do novo banco de dados. Esse nome deve ser exclusivo no servidor SQL, que pode hospedar os bancos de dados SQL do Azure e Azure Synapse Analytics, e ser compatível com as regras do SQL Server para identificadores. Para obter mais informações, consulte Identificadores.

collation_name

Especifica a ordenação padrão do banco de dados. O nome da ordenação pode ser um nome de ordenação do Windows ou um nome de ordenação SQL. Se não for especificado, o banco de dados receberá a ordenação padrão, que é SQL_Latin1_General_CP1_CI_AS.

Para obter mais informações sobre os nomes de ordenação do Windows e do SQL, consulte COLLATE (Transact-SQL).

MAXSIZE

O padrão é 245.760 GB (240 TB).

Aplica-se a: Otimizado para Computação Gen1

O tamanho máximo permitido para o banco de dados. O banco de dados não pode ultrapassar o MAXSIZE.

Aplica-se a: Otimizado para Computação Gen2

O tamanho máximo permitido para dados de rowstore no banco de dados. Os dados armazenados em tabelas rowstore, um deltastore de um índice columstore ou um índice não clusterizado em um índice columnstore clusterizado não podem exceder o MAXSIZE. Os dados compactados no formato columnstore não têm um limite de tamanho e não estão restritos pelo MAXSIZE.

EDITION

Especifica a camada de serviço do banco de dados. Para o Azure Synapse Analytics, use datawarehouse.

SERVICE_OBJECTIVE

Especifica o tamanho da computação (objetivo do serviço). Os níveis de serviço para Gen2 são medidos em unidades de computação do data warehouse (cDWU), por exemplo, DW2000c. O nível de serviço Gen1 é medido em DWUs, por exemplo, DW2000. Para saber mais sobre os objetivos de serviço para o Azure Synapse, confira Unidades de Data Warehouse (DWUs). Os objetivos de serviço Gen1 (não mais listados) não têm mais suporte, você pode receber um erro: Azure SQL Data Warehouse Gen1 has been deprecated in this region. Please use SQL Analytics in Azure Synapse.

Comentários gerais

Use DATABASEPROPERTYEX para ver as propriedades do banco de dados.

Use ALTER DATABASE – Azure Synapse Analytics para alterar o tamanho máximo ou os valores objetivos de serviço posteriormente.

O Azure Synapse é definido como COMPATIBILITY_LEVEL 130 e não pode ser alterado. Para obter mais informações, confira Desempenho de consultas aprimorado com nível de compatibilidade 130 no Banco de Dados SQL do Azure.

Permissões

Permissões necessárias:

  • Logon de entidade de segurança de nível de serviço, criado pelo processo de provisionamento ou
  • Membro da função de banco de dados dbmanager.

Tratamento de erros

Se o tamanho do banco de dados atingir MAXSIZE, você receberá o código de erro 40544. Quando isso ocorre, não é possível inserir, atualizar dados nem criar novos objetos (como tabelas, procedimentos armazenados, exibições e funções). Ainda é possível ler e excluir dados, truncar tabelas, remover tabelas e índices e recriar índices. Você pode atualizar MAXSIZE para um valor maior que o tamanho atual do banco de dados ou excluir alguns dados para liberar espaço de armazenamento. Pode haver um atraso máximo de quinze minutos para que você possa inserir novos dados.

Limitações e restrições

Você deve estar conectado ao banco de dados master para criar um banco de dados.

A instrução CREATE DATABASE deve ser a única instrução em um lote do Transact-SQL.

Não é possível alterar a ordenação de banco de dados depois que o banco de dados é criado.

Exemplos: Azure Synapse Analytics

a. Exemplo simples

Um exemplo simples para criar um pool de SQL dedicado autônomo (anteriormente SQL DW). Isso cria o banco de dados com o menor tamanho máximo (10.240 GB), a ordenação padrão (SQL_Latin1_General_CP1_CI_AS) e o menor objeto de serviço Gen2 (DW100c).

CREATE DATABASE TestDW
(EDITION = 'datawarehouse', SERVICE_OBJECTIVE='DW100c');

B. Criar um banco de dados de data warehouse com todas as opções

Um exemplo de criação de um pool de SQL dedicado autônomo de 10 terabytes (anteriormente SQL DW).

CREATE DATABASE TestDW COLLATE Latin1_General_100_CI_AS_KS_WS
(MAXSIZE = 10240 GB, EDITION = 'datawarehouse', SERVICE_OBJECTIVE = 'DW1000c');

C. Exemplo simples em um pool de SQL sem servidor do Synapse Analytics

Isso cria o banco de dados no pool sem servidor, especificando uma ordenação (Latin1_General_100_CI_AS_KS_WS).

CREATE DATABASE TestDW COLLATE Latin1_General_100_CI_AS_KS_WS

Confira também

* Analytics Platform
System (PDW) *

 

Sistema de plataforma de análise

Visão geral

No Analytics Platform System, essa instrução é usada para criar um banco de dados em um dispositivo do Analytics Platform System. Use essa instrução para criar todos os arquivos associados a um banco de dados do dispositivo e para definir as opções de tamanho máximo e aumento automático para as tabelas de banco de dados e o log de transações.

Sintaxe

Para obter mais informações sobre as convenções de sintaxe, consulte Convenções de sintaxe Transact-SQL.

CREATE DATABASE database_name
WITH (
    [ AUTOGROW = ON | OFF , ]
    REPLICATED_SIZE = replicated_size [ GB ] ,
    DISTRIBUTED_SIZE = distributed_size [ GB ] ,
    LOG_SIZE = log_size [ GB ] )
[;]

Argumentos

database_name

O nome do novo banco de dados. Para obter mais informações sobre nomes de bancos de dados permitidos, confira "Regras de nomenclatura de objetos" e "Nomes de bancos de dados reservados" na documentação do produto PDW (Analytics Platform System).

AUTOGROW = ON | OFF

Especifica se os parâmetros replicated_size, distributed_size e log_size para esse banco de dados aumentarão automaticamente, conforme necessário, além de seus tamanhos especificados. O valor padrão é OFF.

Se AUTOGROW for ON, replicated_size, distributed_size e log_size aumentará conforme necessário (não em blocos do tamanho inicial especificado) com cada inserção de dados, atualização ou outra ação que exige mais armazenamento do que já foi alocado.

Se AUTOGROW for OFF, os tamanhos não aumentarão automaticamente. O PDW (Analytics Platform System) retornará um erro durante a tentativa de uma ação que exige que replicated_size, distributed_size ou log_size aumente além do valor especificado.

AUTOGROW é ON ou OFF para todos os tamanhos. Por exemplo, não é possível definir AUTOGROW ON para log_size, mas não defini-lo para replicated_size.

replicated_size [ GB ]

Um número positivo. Define o tamanho (em gigabytes de inteiro ou decimal) para o espaço total alocado a tabelas replicadas e os dados correspondentes em cada nó de Computação. Para os requisitos de replicated_size mínimo e máximo, consulte "Valores mínimos e máximos" na documentação de produto do PDW (Analytics Platform System).

Se AUTOGROW for ON, as tabelas replicadas terão permissão para aumentar além desse limite.

Se AUTOGROW for OFF, um erro será retornado, caso um usuário tente criar uma nova tabela replicada, inserir dados em uma tabela replicada existente ou atualizar uma tabela replicada existente de uma maneira que aumente o tamanho além de replicated_size.

distributed_size [ GB ]

Um número positivo. O tamanho, em gigabytes de inteiro ou decimal, para o espaço total alocado para tabelas distribuídas (e os dados correspondentes) entre o dispositivo. Para os requisitos de distributed_size mínimo e máximo, consulte "Valores mínimos e máximos" na documentação de produto do PDW (Analytics Platform System).

Se AUTOGROW for ON, as tabelas distribuídas terão permissão para aumentar além desse limite.

Se AUTOGROW for OFF, um erro será retornado, caso um usuário tente criar uma nova tabela distribuída, inserir dados em uma tabela distribuída existente ou atualizar uma tabela distribuída existente de uma maneira que aumente o tamanho além de distributed_size.

log_size [ GB ]

Um número positivo. O tamanho (em gigabytes de inteiro ou decimal) para o log de transações entre o dispositivo.

Para os requisitos de log_size mínimo e máximo, consulte "Valores mínimos e máximos" na documentação de produto do PDW (Analytics Platform System).

Se AUTOGROW for ON, o arquivo de log poderá aumentar além desse limite. Use a instrução DBCC SHRINKLOG (Azure Synapse Analytics) para reduzir o tamanho dos arquivos de log para seu tamanho original.

Se AUTOGROW for OFF, um erro será retornado para o usuário para qualquer ação que aumente o tamanho do log em um nó de Computação individual para além de log_size.

Permissões

Exige a permissão CREATE ANY DATABASE no banco de dados master ou a associação à função de servidor fixa sysadmin.

O exemplo a seguir fornece a permissão para criar um banco de dados para o usuário Fay de banco de dados.

USE master;
GO
GRANT CREATE ANY DATABASE TO [Fay];
GO

Comentários gerais

Os bancos de dados são criados com o nível de compatibilidade de banco de dados 120, que é o nível de compatibilidade do SQL Server 2014 (12.x). Isso garante que o banco de dados poderá usar toda as funcionalidades do SQL Server 2014 (12.x) usada pelo PDW.

Limitações e Restrições

A instrução CREATE DATABASE não é permitida em uma transação explícita. Para obter mais informações, consulte Instruções.

Para obter informações sobre restrições mínimas e máximas em bancos de dados, consulte "Valores mínimos e máximos" na documentação de produto do PDW (Analytics Platform System).

No momento em um banco de dados é criado, deve haver espaço livre suficiente disponível em cada nó de Computação para alocar o total combinado dos seguintes tamanhos:

  • Banco de dados do SQL Server com tabelas com o tamanho de replicated_table_size.
  • Banco de dados do SQL Server com tabelas com o tamanho do (distributed_table_size/número de nós de Computação).
  • O SQL Server registra em log o tamanho de (log_size /número de nós de Computação).

Bloqueio

Usa um bloqueio compartilhado no objeto DATABASE.

Metadados

Depois que essa operação for bem-sucedida, uma entrada para esse banco de dados será mostrada nas exibições de metadados sys.databases e sys.objects.

Exemplos: PDW (Analytics Platform System)

a. Exemplos de criação de banco de dados básicos

O exemplo a seguir cria o banco de dados mytest com uma alocação de armazenamento de 100 GB por nó de Computação para tabelas replicadas, 500 GB por dispositivo para tabelas distribuídas e 100 GB por dispositivo para o log de transações. Neste exemplo, AUTOGROW está desativado por padrão.

CREATE DATABASE mytest
  WITH
    (REPLICATED_SIZE = 100 GB,
    DISTRIBUTED_SIZE = 500 GB,
    LOG_SIZE = 100 GB );

O exemplo a seguir cria o banco de dados mytest com os mesmos parâmetros acima, exceto que AUTOGROW está ativado. Isso permite que o banco de dados aumente para fora dos parâmetros de tamanho especificados.

CREATE DATABASE mytest
  WITH
    (AUTOGROW = ON,
    REPLICATED_SIZE = 100 GB,
    DISTRIBUTED_SIZE = 500 GB,
    LOG_SIZE = 100 GB);

B. Criar um banco de dados com tamanhos de gigabyte parcial

O exemplo a seguir cria o banco de dados mytest, com AUTOGROW desativado, uma alocação de armazenamento de 1,5 GB por nó de Computação para tabelas replicadas, 5,25 GB por dispositivo para tabelas distribuídas e 10 GB por dispositivo para o log de transações.

CREATE DATABASE mytest
  WITH
    (REPLICATED_SIZE = 1.5 GB,
    DISTRIBUTED_SIZE = 5.25 GB,
    LOG_SIZE = 10 GB);

Confira também