Resumo

Concluído

Neste módulo, aprendeu como pode ajudar o Narrador do Windows a fornecer descrições dos seus elementos de interface de utilizador e como pode adicionar um sistema de reconhecimento de voz que funcione com a sua aplicação específica.

A apresentação visual da sua aplicação é outro aspeto fundamental de uma experiência inclusiva. Recomendamos que veja o nosso módulo sobre inclusividade através de navegação por teclado e configurações de cor e de alto contraste se ainda não o tiver feito.

É claro que há sempre mais a fazer em matéria de inclusividade. Não abordámos as deficiências auditivas nem alguns problemas graves, tais como as doenças mentais. Ainda assim, esperamos que este módulo tenha sido um bom ponto de partida para aumentar a acessibilidade da sua aplicação. Agora, incentivamo-lo a criar tendo sempre a acessibilidade em consideração.

Não é de mais lembrar que a sua aplicação apenas é verdadeiramente inclusiva se tiver sido testada e for considerada utilizável por utilizadores portadores das deficiências que está a tentar abordar. Não há ferramentas nem bons conselhos que se possam comparar com este feedback valioso. Esperamos que este módulo lhe dê algumas ideias, apresente alguns processos e sirva de introdução a ferramentas do Windows que o ajudarão a começar a tornar as suas aplicações verdadeiramente inclusivas.

Prova de aferição

1.

Que propriedade dos elementos de interface de utilizador é verificada e utilizada em primeiro lugar pelo Narrador?

2.

Quais são as duas permissões que têm de ser definidas para que o reconhecimento de voz funcione?

3.

O que acontece quando profere de forma clara e sem pausas "three times twenty equals" (três vezes vinte é igual a) na ferramenta de reconhecimento de voz do Windows, com a calculadora em foco?

4.

O que acontece quando profere de forma clara e sem pausas "three times twenty equals" (três vezes vinte é igual a) perante a ferramenta de reconhecimento de voz personalizada da calculadora?